terça-feira, 30 de setembro de 2014

A história de Harry Houdini




Harry Houdini é o nome artístico de Ehrich Weiss. Nascido em 24 de março de 1874, em Budapeste, capital da Hungria. Sua família chegou aos Estados Unidos em 3 de julho de 1878, a bordo do navio SS Fresia, quando Houdini tinha apenas quatro anos.

De infância pobre, Houdini foi obrigado a trabalhar desde cedo. Ele foi perfurador de poços, fotógrafo, contorcionista e até trapezista.

Atuou também como ferreiro, onde, certa vez, seu chefe encarregou-lhe de abrir um par de algemas cuja chave um policial perdera. Após inúmeras tentativas usando serras, Houdini teve a idéia de pinçar a fechadura para abri-la. Ele conseguiu e a maneira como o fez serviu de base para abrir todas as algemas que empregava em seus truques.

Desde então passou a se apresentar como mágico, fazendo números nos quais se libertava não só de algemas, mas também de correntes e cadeados, dentro de caixas, dentro de tanques fechados; dentro e fora d’água, de todo o jeito. Fez um sucesso enorme e ninguém até hoje conseguiu desvendar seus truques por completo, mesmo depois dele ter escrito boa parte dos segredos em livro.

Houdini também atuou como um desenganador, ou seja, desmascarando pessoas que alegavam possuir poderes sobrenaturais tais como médiuns.


Harry Houdini morreu de peritonite secundária, devido ao apêndice rompido, ocasionado por traumas abdominais múltiplos, provocados por um estudante da Universidade McGill em Montreal.


De acordo com a descrição dos eventos, Houdini estava reclinando em sua poltrona após um número, tendo um estudante de Artes o confrontado. Quando o estudante Whitehead adentrou e perguntou se era verdade que Houdini suportava pancadas de todo o tipo no estômago, esse respondeu-lhe afirmativamente. O ilusionista foi batido três vezes, antes que pudesse se preparar para tal. Whitehead continuou lhe golpeando diversas vezes mais tarde, segundo rumores. Houdini manifestou dores.

Embora com sérias dores, Houdini inobstante continuou a viajar sem procurar ajuda médica. Sofrendo de uma provável apendicite por dias e tendo recusado o tratamento médico, seu apêndice provavelmente estouraria por si, mesmo sem o trauma. Era o fim de Harry Houdini, considerado até hoje o maior mágico que já existiu.

O funeral de Houdini realizou-se em 4 de novembro de 1926, em Nova York, com mais de duas mil pessoas presentes. Membros da sociedade de mágicos americanos compareceram a seu enterro no Cemitério Machpelah, no bairro do Queens.

Nenhum comentário:

Postar um comentário